Entrevista de Robert Pattinson com a revista TU

Fomos ao Festivel de Filmes de Canne quando nos disseram que entrevistaríamos O vampiro. Sim, Robert Pattinson! Depois de um ano muito agitado, ele tirou tempo para andar pelos tapetes vermelhos e aproveitar o glamour do festival de filmes mais famoso. Quando chegamos ao local onde faríamos a entrevista, ainda não conseguíamos acreditar que falaríamos com ele. Fora de seu hotel havia milhares de fãs esperando por ele. Ele é o cara do momento e a primeira coisa que ele nos diz quando o encontramos é que ele ainda não consegue acreditar que isso está acontecendo com ele. De acordo com nossa conversa, ele se considera um cara normal e jura que tem uma vida muito entediante. Então além de ser incrivelmente lindo, esse cara é adorável e com pé no chão. Como é possível não se apaixonar por ele?

Robert, como você se sente hoje sobre tantas garotas ao redor do mundo sonharem com você?
Honestamente, eu acho que é parte da ilusão da cinematografia. Eu não fiz nada fora do comum para ser famoso. Tudo se resume àqueles cinco minutos de emoções que você dá às pessoas e que é legal de sentir. É parte da mágica e tudo que vem sobre fazer filmes. As expectativas, os sonhos, as fantasias; é tudo uma ilusão. Eu sou um cara muito normal, te garanto isso.

Você gosta do glamour dessa profissão, de andar pelos tapetes vermelhos?
Sim, eu amo viajar pelo mundo e estar em um festival como o de Cannes. Ter esses cinco minutos de glamour e empolgação é incrível, contanto que eu tenha minha vida normal de volta. Esses são os momentos que você pode simplesmente fazer filmes e você tem de gostar deles. Mas a melhor parte é quando você vai pra casa (risadas).

Qual tem sido a parte mais difícil de ser tão famoso?
Encarar multidões. Eu sou muito tímido. O fato de eu ter de andar pelas ruas e sabendo que as pessoas vão me reconhecer e gritar meu nome é algo que me deixa um pouco paranóico. Eu não posso ficar em lugar algum por mais de 20 minutos, porque com a internet e com a rapidez que as notícias viajam, eu fico cercado de paparazzi e fãs.

Diga-nos a verdade, ser famoso te ajudou a ter mais garotas?
(Risadas) Sim e não. No começo, as garotas se sentem atraídas por isso, mas quando elas percebem que você é um ser humano real, com defeitos e qualidades, pode haver certo desapontamento. Muitas vezes as garotas descobrem que tudo sobre você é uma fantasia. Eu acho, no fim, que eu sou um cara como qualquer outro. Eu não posso ser o que todos querem que eu seja, eu sou apenas eu. E você pode achar muitas garotas que tem idéias pré-concebidas de você, ou coisas imaginárias que podem ser um problema, porque quando as pessoas percebem que você não é realmente daquele jeito, elas se decepcionam. Eu tenho de confessar que antes de fazer esse filme eu acreditava que ser famoso poderia me ajudar a ter mais garotas, mas então eu percebi que não é tão fácil quanto pensei que seria. No final, se você gosta de uma garota, ainda tem de trabalhar duro em conquistá-la! (Risadas)

Que outras coisas você teve de aprender?
Que eu tenho de ser muito cuidadoso com o que eu digo e com as informações que compartilho. Eu aprendi a não compartilhar muito. Mas essa é uma lição de vida que qualquer um pode aprender. Você tem de pensar bastante nas coisas antes de abrir sua boca.

Além de ser um ator, qual é seu trabalho dos sonhos?
Seu um pianista. Música me fascina, eu amo. É minha paixão. E eu acho que poderia ter sido muito feliz ficando próximo de um piano e fazendo disso minha vida.

Você tem consciência de que este é o momento em que sua vida mudará para sempre? Graças a essa saga você terá qualquer papel que queira.
Eu sei, mas algumas vezes eu tento não pensar muito nisso porque eu morro de medo. Eu sinto que as coisas estão acontecendo tão rapidamente e eu tenho que escolher constantemente sem ter qualquer tempo de analisar, porque seu eu o fizer, eu posso perder minha chance de fazer. Você não pode ser um ator que pode se dar ao luxo de esperar cinco anos para fazer seu próximo filme se sentir vontade. Você tem de achar o melhor trabalho para você nos próximos meses, caso contrário, a indústria e as pessoas vão esquecer rapidamente de você. Então você faz um compromisso de continuar eficiente e rápido quando você vai escolher o que virá a seguir. Quando você não tem nada a perder, é ótimo, porque você simplesmente aceita o desafio e tenta fazer dar certo. Mas quando você realmente quer uma longa carreira e construir uma boa imagem, tudo isso se torna uma coisa muito estressante.

Falando no futuro, o que você gostaria que “Lua Nova” trouxesse para sua carreira?
Eu quero mais do que o filme ser bem sucedido, ter mais liberdade de escolher outros projetos que quero fazer depois. É por isso que eu quero que o filme seja ótimo. É como a indústria funciona, e para poder fazer o que eu gosto as coisas precisam poder dar certo e serem bem sucedidas, certo?

As pessoas falam o tempo todo sobre o quão incrível você é. Você concorda?
Na verdade, não (risadas). A verdade é que eu estava me recusando a fazer o teste para esse papel por meses porque depois de ler o livro eu pensei que não fazia sentido aparecer, eu juro! Para mim, quem quer que interpretasse o Edward tinha de ser algum tipo de modelo, com o corpo perfeito e alguém que fosse capaz de fazer uma performance mais física. E eu não me vejo assim nem um pouco. Então eu pensei, “Ta bom, eu vou fazer o teste, eu serei eu mesmo, e essa é a melhor coisa que posso fazer”. Eu nunca pensei que conseguiria o protagonista.

É verdade que para interpretar o Edward você teve de malhar muito?
Sim, mas eu comecei realmente com isso quase no final do filme. E eu fiz isso mais para me sentir melhor comigo mesmo. Eu não queria simplesmente ter músculos e um perfeito abdômen, eu queria ser o mais saudável possível. Isso se mostra na sua atitude e na sua confiança.

Você ainda toca música?
Claro! Eu toquei muita música em Londres e sempre me lembro desses dias quando eu faço uma viagem no meu carro e penso em como ser um músico era o trabalho mais legal do mundo. Eu me imaginava tocando em restaurantes na praia, com pores-do-sol próximos ao oceano. Eu toco piano desde que tenho cinco anos, então música faz parte do que sou.

Falando no Edward, o que você acha que tem em comum com ele?
Eu não sei. Eu sou muito sensível e tímido. Eu tenho poderes sobrenaturais também (risadas). Não, bem que eu queria. Mas eu sou muito normal.

O que nós veremos nesse novo filme?
Eu não posso dizer muito porque é segredo. A idéia é surpreender as pessoas e apesar de ser baseado nos livros, o Chris Weitz deu seu toque, então vocês terão de ir ver! O que eu posso garantir é que vai ser visualmente incrível. Chris é um gênio e ele ama explorar o mundo de Lua Nova ao extremo. Você não pode perder. Eu não vi ainda e estou morrendo para ver.

Fonte: Twilight Team
Quem posta: Bruna

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: