Entrevista com o vampiro

EdwardCullen

Pergunte a Robert Pattinson como ele está lidando com a histeria global que agora o cerca e ele responde: “Tudo bem, eu espero”. Depois ele leva sua mão aos seus cabelos bagunçados (um sinal de que ele está ansioso) e acrescenta: “É ainda meio que novo.”

Já se passaram quase 12 meses desde que o primeiro Crepúsculo foi lançado ao mundo. Doze meses desde que botamos os olhos no vampiro sensível, torturado e ferozmente bonito chamado Edward Cullen do romance imensamente popular de Stephenie Meyer. Doze meses desde que Pattinson, o ator de 23 anos que interpreta o sangrento vampiro adolescente, se tornou um arrasa corações internacional.

Em um minuto ele tinha um mínimo papel em dois dos filmes Harry Potter (ele interpretou Cedrico Diggory em O Cálice de Fogo e A Ordem da Fênix). No outro ele era o objeto de afeição de todas as garotas adolescentes. Elas estão gritando agora mesmo do lado do quarto de hotel dele. Ele está na França para promover A Saga Crepúsculo: Lua Nova, a continuação de Crepúsculo (são quatro romances ao todo). Sempre que ele chega perto de uma janela para fumar, uma enorme gritaria irrompe da rua logo abaixo.

“Para ser sincero, eu ainda não entendo de fato o que está acontecendo”, ele diz. “Como ontem, eu estava almoçando ali embaixo na rua. Estávamos no lugar há umas duas horas e de repente tinham umas 400 pessoas lá fora na rua. Foi tão insano e é assim sempre agora”.

Se Pattinson não perdeu a cabeça com a histeria global até agora, como ele irá lidar quando Lua Nova estreiar no mês que vem?

“Quando o segundo filme sair, aí eu vejo como ficar. Na maioria das vezes eu consigo ignorar com grande extensão e meio que finjo que elas não estão realmente acontecendo”, ele diz, soando assustadoramente calmo.

“Eu apenas não levo nada disso a sério. É só um trabalho e enquanto for isso eu amo, garotas gritam pelo Edward, não pelo Robert. Eu ainda não consigo arrumar uma namorada”.

Pattinson tem desvalorizado esse gênero por meses. Ele não assume que está namorando a co-estrela de Crepúsculo, Kristen Stewart, que interpreta Bella. Talvez ele esteja sob as instruções do estúdio para aparecer solteiro? Isso provavelmente impulsiona a venda de ingressos.

A verdadeira razão pela qual Pattinson está tão calmo é simples: “Eu não sou o principal nesse segundo filme. Taylor [Lautner] que é”, ele sorri idiotamente. “Eu apareço nos sonhos de Bella. Então estou ali, mas o foco não é sobre mim. Eu apenas tenho momentos significativos no começo… e no final. Então eu sou um papel mais coadjuvante nesse, que é a razão de eu me sintir mais livre. Eu não tive que lidar com nenhuma bobagem como no primeiro. Eu não tenho que sustentar o filme ou me preocupar com as fãs. Eu acho que fiz melhor sem toda essa pressão”.

Pattinson é extraordinariamente bonito. Ele tem sido chamado de Johnny Depp da sua geração e coroado o Homem Mais Sexy do Planeta pela revista Glamour, o Mais Bonito pela Entertainment Tonight e Ator Mais Quente pela Rolling Stone.

Como Depp, ele tem a mesma beleza assimétrica, a mesma cara maravilhosa de homem-menino. Ele tem 1,85m de altura, esguio e ele, também, exibe uma masculinidade feminina. Depp igualmente começou como um ídolo adolescente antes de começar furiosamente a desconstruir essa imagem. Idem para Pattinson.

“Depois de Harry Potter eu poderia ter feito muitos filmes adolescentes”, ele diz.

Em vez disso, ele estrelou como o jovem Salvador Dali, que teve um romance com o poeta Frederico Garcia Lorca, em Little Ashes neste ano.

“Eu tive que fazer todas essas cenas hardcore de sexo gay, quando eu ainda nem havia feito uma cena de sexo com uma garota em um filme”, ele ri.
“Eu estou fazendo filmes muito diferentes, então será mais difícil apenas me rotular como o cara vampiro”.

Entre eles está incluído Remember Me, com a bonita australiana Emilie de Ravin de Lost, e Unbound Captives, um faroeste de 1859, que estrela Hugh Jackman – mas mais sobre o filme mais tarde.

Antes de Crepúsculo, Pattinson estava na beira de largar a arte da atuação em favor da música. “Com a atuação, na grande parte do tempo que você está fazendo as cenas, você realmente não se envolve e na outra metade não sabe de fato porque está sendo escalado”, ele ri. Ele “entendia” a música. Ele toca piano desde os cinco. Compõe e canta. É um dom. Atuação não. Ele ainda se sente “incomodado na frente da câmera”.

Pattinson tem uma voz doce e fez duas músicas em Crepúsculo – algo de que sabemos que ele se arrepende. “Quando o primeiro filme saiu, eu me senti como um completo tonto”, ele diz. “Pareceu que eu estava tentando ser bom em alguma coisa, como Eminem. Sabe, estar em um filme e daí fazer uma música para a trilha. Mas não ficou legal, apenas pareceu ridículo”.

A falta de auto-confiança de Pattinson é surpreendente e até sensibilizadora. Elogie sua voz e ele trocará de assunto. Elogie sua performance e ele lhe dirá que é louca. Mas ele se agarrará à atuação por agora apenas porque ele iria “morrer de fome” como um músico.

Pattinson tem duas irmãs mais velhas – Lizzy, uma musicista, que está na banda Aurora; e Victoria, que é publicitária. Seu pai importa carros clássicos e sua mãe trabalhou em uma agência de modelos. Foi seu pai que o encorajou a atuar (para conhecer garotas). Então ele foi modelo, fez parte de alguns teatros amadores e da televisão britânica.

Mas agora ele tem que ir. O avião está esperando. Ele boceja e parece cansado. Então como ele esparece?

“Eu não preciso de fato fazer coisas para relaxar ou desligar porque todos meus interesses são parte do meu trabalho”, ele diz. “Por exemplo, vou assistir filmes para ficar inspirado para fazer outros filmes. Leio livros para ficar inspirado. Ouço músicas para ficar inspirado para escrever outras. Tudo que faço é para criar alguma coisa”.

O próximo filme de Pattinson é Unbound Captives. Ele encontrou Hugh Jackman no Japão recentemente para uma pequena reunião sobre o filme. “Fomos ao karaokê cantar”, ele ri. “Ficamos cantando as músicas do Abba, foi bem divertido. Foi tipo uma competição com as músicas do Abba, sabe, até quem agüentasse mais”.

Quem ganhou? “Acho que foi ele, apenas porque ele consegue beber mais que eu e ainda cantar afinado. Ele é um cara legal e eu realmente estou ansioso pro esse filme”.

Também estamos. O Homem Vivo Mais Sexy encontra o Homem Mais Sexy do Planeta – agora isso vai ficar interessante.

A Saga Crepúsculo: Lua Nova estréia em 19 de Novembro.

NOTAS

Pattinson fumou sem parar durante a entrevista. Quando estávamos na metade, ele ficou sem cigarros. Ele decidiu ir ao corredor para ver se conseguia “filar” um de um hóspede que estava passando. Quando a equipe do hotel francês, que normalmente é legal, calma e recatada, pôs os olhos nele, eles se transformaram em uma multidão devotada de fãs procurando por autógrafos. Pattinson teve que voltar rapidamente para a segurança do quarto. Ele ficou claramente enervado com a aglomeração.

Fonte: Twilight Team
Quem posta: Bruna

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: